Objeto de Hoag: Uma galáxia que intriga astrônomos há 70 anos

O Objeto de Hoag, uma galáxia a 600 milhões de anos-luz de distância da Terra, tem um núcleo amarelo e uma região externa cheia de estrelas azuis jovens, em um formato anelar único. E ainda possui dentro dela outra galáxia anelar semelhante!

Como o Objeto de Hoag se formou é algo que ainda não se sabe, embora objetos semelhantes já tenham sido identificados e catalogados como um tipo de galáxia em anel.

Descoberta do Objeto de Hoag

Galáxias são eventos gigantescos do universo. Felizmente para nós, eles vêm em apenas algumas variedades, tornando-os mais fáceis de identificar e catalogar. 

Quase todas as galáxias são elípticas (em forma de bola), irregulares ou então espirais de vários tipos. Mas algumas que são excêntricas, não se enquadram em nenhuma dessas categorias, é o caso da galáxia Objeto de Hoag.

Alguns tipos de galáxias

Em 1950, o astrônomo Arthur Hoag se deparou com um pequeno anel de magnitude 16 em torno de um centro em forma de bola, e razoavelmente presumiu que fosse uma nebulosa planetária (uma nuvem de gás expelida de uma única estrela antiga). 

Ele também propôs uma explicação alternativa e muito mais exótica de que este era um “Anel de Einstein” de um quasar distante. Nesse cenário, a luz do quasar é distorcida em um halo pela deformação do espaço causada por uma grande galáxia esférica em primeiro plano que parece circundar

Mas estudos feitos usando espectroscópicos rejeitaram isso porque a bola central dourada e o anel azul têm exatamente o mesmo desvio para o vermelho, indicando uma enorme velocidade de fuga de 12.740 quilômetros por segundo, o que prova que ambos estão localizados exatamente à mesma distância de nós. 

Em 2002, a ótica ultra-nítida do Telescópio Espacial Hubble revelou o Objeto de Hoag, como agora é chamado, como um anel azul perfeito de estrelas, poeira e gás, completo com aglomerados nodosos que são aglomerados de estrelas não resolvidos. 

Fonte: NASA and The Hubble Heritage Team (STScI/AURA).

Em outras palavras, sim, esta é uma galáxia

O problema, é claro, é que o Objeto de Hoag não assume o padrão espiral familiar, com os braços indo em direção às estrelas mais antiga e amarelas que compõem o núcleo de quase todas as galáxias. Em vez disso, o núcleo fica por si só no espaço. 

Com a distância de 70.000 anos-luz do núcleo entre o anel de bilhões de estrelas, planetas e quem-sabe o que mais.

O objeto de Hoag está a 600 milhões de anos-luz de distância de nós na constelação de Serpens Caput, a metade posterior da serpente contorcida segurada por Ophiuchus, o Portador da Serpente. Seu núcleo amarelo interno tem 24.000 anos-luz de diâmetro, quase o mesmo que o núcleo da Via Láctea

O anel externo do Objeto de Hoag, tem uma largura de 120.000 anos-luz, é semelhante em tamanho ao diâmetro da nossa galáxia. É quase como se alguma nave alienígena gigantesca tivesse aspirado as seções intermediárias de uma galáxia, mas poupando tanto o centro quanto as regiões ultraperiféricas.

Existem “galáxias em anel” que se parecem um pouco com o Objeto de Hoag porque suas periferias são muito mais brilhantes do que seus interiores. No entanto, nenhum tem um anel que envolve o vazio que por sua vez envolve uma bola gigante amarela de sóis. 

Além de sua aparência bizarra, o verdadeiro mistério é como esse tipo de configuração pode ter surgido. Infelizmente, até hoje, uma ideia após a outra foi proposta e depois rejeitada. 

Acredita-se que outras galáxias em anel “clássicas” resultaram de uma grande galáxia espiral em forma de disco sendo penetrada e interrompida por uma companheira invasora

As colisões também podem criar ondas de densidade, que as simulações de computador mostram que às vezes podem produzir um anel externo brilhante. Mas um anel em torno do nada? 

Alguns acham que o Objeto de Hoag resultou de uma pequena galáxia passando por uma maior como uma bola de canhão, 2 a 3 bilhões de anos atrás. 

Mas a falta de candidatos nas proximidades, além do giro lento do núcleo em comparação com os movimentos do anel, faz com que a maioria dos astrônomos rejeite essa hipótese. 

Algumas galáxias extremamente raras do tipo Hoag sendo muito díficil de serem encontradas, mas todas têm diferenças, como algum traço de estrutura em espiral ou um núcleo que tem uma barra ou é elíptico ou em forma de disco. 

O objeto de Hoag é único no cosmos. 

Como que para nos provocar ainda mais, a Natureza tem uma surpresa final. Apesar de sua extrema raridade, uma galáxia semelhante a Hoag aparece dentro do próprio anel de Hoag. 

Na imagem abaixo, entre o núcleo e o anel externo na direção de uma hora, você verá uma segunda galáxia de anel

O objeto de Hoag está tão longe que sua largura aparente é de apenas um quarto de um minuto de arco, lembrando o minúsculo diâmetro de Mercúrio.

Quais são as chances de que outro anel apareça dentro de seu próprio anel? É impossível, realmente. Não pode estar lá.