China lança primeiro módulo para futura estação espacial

A China lançou com sucesso o módulo central da sua estação espacial Tianhe, na noite dessa quarta-feira (28), iniciando um intenso período de missões para a construção em órbita.

Um foguete de carga pesada Long March 5B decolou da base espacial Wenchang às 23h23. O módulo central da estação espacial Tianhe separou-se do primeiro estágio após 490 segundos de vôo.

A implantação da matriz solar ocorreu pouco mais de uma hora após o lançamento. Li Shangfu, comandante-chefe do Programa de Voo Espacial Tripulado da China, anunciou o sucesso do lançamento pouco depois.

Tianhe, ou “harmonia dos céus”, agora deve elevar sua órbita para cerca de 370 quilômetros acima da Terra. A espaçonave de carga Tianzhou-2, deve se encontrar e atracar com Tianhe em meados de maio, antes da visita de três astronautas a bordo do Shenzhou-12 em junho. 

As missões serão as três primeiras de 11 lançamentos em 2021 e 2022 para construir o posto orbital planejado de 66 toneladas e três módulos

Futura estação espacial Tianhe
Futura estação espacial Tianhe

Um foguete 2F Longa Marcha e uma espaçonave Shenzhou também estarão em espera o tempo todo em Jiuquan para realizar missões de resgate de emergência à estação espacial.

A estação espacial Tianhe de 16,6 metros de comprimento e 4,2 metros de diâmetro fornecerá suporte de vida regenerativo e os principais alojamentos para os astronautas, bem como propulsão para manter a altitude orbital. 

A fase de construção da estação espacial da China começa quase 30 anos depois que o projeto foi aprovado pela primeira vez, em 1992.

Módulo central da estação espacial
Módulo central da estação espacial

Durante este período, a China desenvolveu e testou a espaçonave Shenzhou e a Longa Marcha 2F para voos espaciais humanos, satélites de retransmissão Tianlian, tecnologias de encontro e acoplamento, reabastecimento em microgravidade, novos veículos de lançamento e o Centro de Lançamento de Satélites Wenchang costeiro para prosseguir com o projeto. 

A estação deve operar em órbita por pelo menos dez anos. Módulos de experimentos chamados Wentian e Mengtian, com lançamento previsto para 2022, hospedarão uma infinidade de experimentos em áreas como astronomia, medicina espacial, ciências da vida espacial, biotecnologia, física de fluidos de microgravidade, combustão de microgravidade e tecnologias espaciais

A China expressou interesse em aderir ao projeto da Estação Espacial Internacional, mas a adesão foi efetivamente negada pela política dos EUA em relação aos programas espaciais da China.

Módulo central da estação espacial
Módulo central da estação espacial

A própria estação espacial também poderia ser expandida de três para seis módulos, usando módulos desenvolvidos como backups.